• Susana de Sousa

A Lua Cheia das Limitações


No dia 24 de Julho (com o seu auge às 03h37 em Portugal), a Lua Cheia das Limitações irá manifestar um processo intenso. Não será apenas o culminar do ciclo lunar da Lua Nova dos Começos Ambiciosos, mas algo muito mais profundo, que irei explicar ao longo deste artigo.


Atenção: este é um dos momentos mais fortes para o Despertar – seja por vontade própria, seja porque levamos um safanão da Vida.


Vamos ver o que se passa no céu e nos nossos corpos?


O Sol está confortável no seu palco, a estimular-nos com histórias e a fazer-nos salivar por mais uma experiência, por mais uma fantasia, por mais uma viagem. Encontra-se no Centro da Garganta, levando alguns de nós (Gargantas indefinidas) e tentar chamar a atenção inutilmente.


Este Sol é um viajante, um storyteller, um sábio que consegue captar a atenção de uma audiência e encantar ou desencantar com as suas histórias de prazer e de dor.


Do lado oposto, (a Lua Cheia é sempre uma oposição ao Sol) a Lua não se consegue mover. Está presa numa qualquer limitação extremamente rígida.


É como se o Sol estivesse a dançar numa festa de Verão e a Lua se recusasse a ir para a festa, recolhendo-se num quarto sombrio, nas caves mais profundas do Ser, onde é provável que haja um poço de água gelada. Talvez esteja doente, talvez esteja simplesmente melancólica. Ou talvez tenha acontecido algo que ela ainda precise de assimilar, nestes últimos dias tão intensos.


E tu, onde te posicionas? No quentinho do Sol ou no frio da Lua?


Seja qual for a energia que vai puxar mais por ti, parece-me fundamental encarar ambas.


O quê que, dentro de ti, se quer expressar em brilho e luz? Em que acreditas? Será que estás disposta(o) a abraçar em plenitude o que mais valorizas?


Se sentes ansiedade, o que é que essa ansiedade pode revelar sobre ti? Se sentes melancolia e tristeza, quanto estás disposta(o) a aceitar esse estado de espírito?


A cultura do positivismo, muito típica dos movimentos da Nova Era, não vai ter aqui lugar.


As emoções são água e água é memória, inconsciente, vida interior, fluxo, abundância, abismo, elevação.


A água precisa de ser chorada pela Alma.


No último mês assisti à expressão violenta da água no plano físico, revelando as emoções aprisionadas de pessoas muito próximas de mim. Não adianta. As emoções rebentam, e quando rebentam, já estão a manifestar-se nas nossas casas ou nos nossos corpos, sob a forma de inundações ou doenças.


Quando isso sucede, a forma como iremos lidar com as situações irá determinar o rumo dos acontecimentos. Se insistirmos em não ver que aquela situação é da nossa responsabilidade, a situação agrava.


Esta Lua Cheia é uma das lunações mais poderosas em termos de tomada de consciência. Afinal, estamos numa linha 6.



A linha 6 e as faces da Lua


Palavras-chave da linha 6: modelo, optimismo, liderança, compaixão, objectividade, distanciamento, confiança, visão, transpessoal, profundidade.


A linha 6 é a linha que está no topo do hexagrama mas que já não faz parte dele.


À medida que nos aproximamos de 2027, a linha 6 vai começando a ganhar força. Quem tiver a linha 6 no Perfil, vai começar a sentir-se como peixe na água. Todos os outros perfis podem sentir o desconforto de serem puxados pelo exemplo desta linha, pelo seu distanciamento e pela forma objectiva de olhar para a totalidade.


A linha 6 vê o que está além. Como o Human Design aborda o binário da vida, a dualidade, sem julgamento, vou falar aqui do aspecto sombra e do aspecto luz desta lunação.


No seu estado vibracional menos elevado, esta Lua Cheia pode trazer um enorme potencial de depressão. As limitações podem fazer-se sentir com tanta rigidez que a pessoa se sente encurralada e o espírito pode quebrar.

Com Júpiter na porta da Abundância na linha 1, há aqui uma chave:


é possível encontrar o espírito através de cooperação com forças poderosas.


O conselho do Ra:


“é muito importante que dirijas o teu olhar para um novo espaço nos teus relacionamentos; alguém que saiba mais do que tu, alguém que tenha mais experiência do que tu, alguém que tenha conhecimento de que precises. Mas algo que precisas de reconhecer é que essas pessoas serão de grande valor para ti, no teu processo social, porque estão a encher a tua taça. Forças inferiores vão drenar a tua taça.”


No seu aspecto mais luminoso, as limitações irão trazer crescimento.


Eu percebi que a minha energia precisava de impor limites. Acabei por criar um limite no número de clientes com os quais estou disposta a trabalhar, tendo em vista um processo mais intensivo com poucas pessoas.


Tudo o que limitamos deixa espaço para o crescimento noutra área, pois a vida não cessa. É assim que surgem os saltos quânticos e os processos de transcendência.


Depois de aceitarmos as limitações, claro.



A Raiz da Nova Terra


A Lua e a Terra encontram-se no Centro da Raiz, no lugar das águas. Este espaço tem vindo a ser preparado pelos grandes planetas, Júpiter e Saturno, e também já começou a ter a intervenção de Plutão, que ali irá assentar as suas raízes muito brevemente.


“E o encontro acontece numa das zonas mais sensíveis: o ponto da raiz onde sentimos as maiores limitações. O ponto onde as Nornas cortam o fio do destino. O ponto onde sentimos mais intensamente o pé do deus supremo.

Mas na raiz da árvore do mundo nascem fontes de água que estão ligadas à Sabedoria. No Centro da Raiz, o centro energético na base do Ser Humano, nasce uma fonte de fogo semelhante a uma Serpente, que também está ligada à Sabedoria. “ in "Júpiter e Saturno, a Raiz da Nova Terra"


Este artigo fala desse movimento e creio que é um dos artigos mais importantes que escrevi aqui no blog.


Nesta Lua Cheia, vamos poder observar a manifestação do que construimos ao longo de 2020 e 2021. A forma como lidámos com as limitações vai revelar-se.


Se nos permitirmos fazer ajustes, possivelmente procurando a ajuda e a colaboração dos outros e vivendo de acordo com a nossa verdade, de forma profundamente honesta, iremos certamente transcender as limitações e teremos a possibilidade de dar um verdadeiro salto quântico.



Maçã Dourada - o caminho da Deusa


Nos mitos e contos de fadas, as maçãs douradas pertencem à Deusa. A Deusa é o arquétipo do Amor, do Sagrado Feminino (em homens e mulheres), da Sabedoria, da expressão da própria Vida Eterna na Matéria.


A Deusa revela-se em múltiplos rosto e diversos caminhos. Na "Maçã Dourada" esses caminhos são explorados individualmente, numa jornada pelos vários territórios internos do Ser.


A viagem começa precisamente no Centro da Raiz, o ponto onde a Lua está neste momento, presa na rigidez. Tocar na Raiz permite libertar padrões ligados à nossa ancestralidade, e assim abrir caminho para o Novo.


Ao percorrer cada história, percorremos cada um dos nossos 9 centros, e assim abrimos espaço para que a força da Deusa se manifeste em nós.


Sendo a Deusa a expressão da vida, é urgente recuperá-la.


Se sentes o apelo para te conectares com esta força do Sagrado Feminino e alinhar a tua vida com o fluxo do amor, podes fazê-lo através do audiolivro ou de uma mentoria individual:


O audiolivro:


>>> A Maçã Dourada


A mentoria:


>>> Maçã Dourada - O Poder da Maçã




* a Mandala e o Rave Bodygraph são marca registada da Jovian Archive.

 

>> Subscreve aqui a newsletter do YourSELFStory para receber conteúdos exclusivos.

O que dizem desta newsletter:

"Cada newsletter é sempre uma boa surpresa e escrita numa linguagem doce e maravilhosa que nos enche a alma."

“Tanta LUZ!”

"Ler esta newsletter é um bálsamo para a alma e um elixir de renovação para o coração!"

“Espectacular!”

“Obrigada por seres este veículo de descoberta e autoconhecimento.”

“Wow! Adorei!”

“Susana, todas as suas mensagens vêm mesmo no momento certo.”

“Emocionante.”

“Estás a funcionar como um despertador!”

“Lindo!”

94 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo