• Susana de Sousa

Perdi o emprego! E agora?

Aconteceu-me. A mim e a tantas outras pessoas com que me cruzei no mundo da televisão e do cinema.


Para mim foi maravilhoso, porque andava a tentar libertar-me há alguns anos. Já tinha percebido que estava na altura de mudar de profissão, mas nada do que tentava construir parecia dar certo.


Um dia, numa sessão com um coach meu amigo, abordámos o medo da rejeição. Pelos vistos, eu tinha esse medo alojado algures no meu inconsciente. Fomos à origem do medo e puff... ele desapareceu!


Dois dias depois, soube que o meu posto de trabalho tinha sido extinto. E a paz que senti foi indescritível. Porque eu sabia que isto era a forma do meu Ser me comunicar: estás livre!


No mês seguinte, estava na Tailândia. Quando marquei a viagem, cerca de seis meses antes, não fazia ideia que iria ficar sem trabalho e fiquei um bocado stressada com as questões financeiras. Mas enquanto andava a passear nos templos tailandeses algo sucedeu. Ao olhar para os Budas, com o sol a refulgir no ouro das estátuas, tomei a decisão:


- A partir de agora, vou tomar conta de mim. Vou ser para mim esta Luz que aqui vejo.





Quando regressei a Portugal, comecei a recusar trabalhos. Pouco tempo depois, criei o YourSelfStory, ainda um pouco envergonhada por ter de explicar às pessoas que conseguia ver o que tinham dentro do seu inconsciente. Algo estava a definir-se dentro de mim, mas parecia que ainda não tinha força suficiente.


A perda do trabalho foi só a primeira perda.


É importante que percebas isto: nós levamos anos e anos a construir a nossa Casa nas fundações erradas.


Para construir a Casa certa, por vezes temos de derrubar as portas, as janelas, as paredes, o chão, o teto... e ainda deitar fora os móveis, os tapetes, os cortinados!


- Que coragem! – diziam os meus amigos, enquanto eu me libertava de uma coisa e de outra.


Não sou corajosa. Pelo contrário... Fiz o que fiz porque sei quais teriam sido as consequências de não viver em alinhamento com a minha essência.


Quando somos nós a desapegar-nos, é sempre mais fácil. Se tivermos de ser obrigados, por vezes é à bruta.


E foi assim que fui libertando a velha Casa Interna dos seus constrangimentos e construindo uma nova.


O mais engraçado é que há coisas, situações e pessoas de que me desapeguei na minha vida e que ainda continuo a amar. É como se fechar o ciclo apenas venha reforçar o amor e a gratidão que sinto. Tudo foi perfeito. Cada momento foi precioso. Afinal, tudo foi parte de mim.


Hoje, quero dizer-te que é possível mudar tudo. Quanto mais conscientes formos, mais fácil se torna desapegarmo-nos daquilo que não contribui para vivermos o nosso propósito.


Só uma coisa importa: conseguires aceder à tua verdade.


E, sabes, ninguém pode fazer isso por ti.


Por isso, tu és o teu Mestre. Mais ninguém.


Conversa com a tua Casa Interna. Desce às suas fundações e pergunta se estão sólidas. Abre as janelas e vê se tens a vista que gostarias de ter. Vai ao jardim e observa o tamanho dos seus muros.


Há alguma coisa que queiras mudar?


A Casa fala contigo. Aprende a ouvi-la...



Viaja comigo nas histórias! 🍄✨🌷✨🐉✨👑


>> Subscreve aqui a newsletter do YourSELFstory para receber conteúdos exclusivos.


O que dizem desta newsletter:


“Espectacular!”

“Obrigada por seres este veículo de descoberta e autoconhecimento.”

“Wow! Adorei!”

“Susana, todas as suas mensagens vêm mesmo no momento certo.”

“Emocionante.” “Tanta LUZ!”

“Estás a funcionar como um despertador!”

“Lindo!”

82 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo