• Susana de Sousa

Plutão na Raiz

O planeta da transformação profunda, associado simbolicamente ao Senhor do Submundo, Hades, tem vindo a trabalhar na nossa Verdade Interna (porta 61), no Centro da Cabeça, nos últimos anos. Em 2022, o seu foco muda para a Limitação (porta 60), no Centro da Raiz. Ambos são centros de pressão.

Em 2021, Plutão já fez uma breve visita à porta 60, mas agora vem para ficar (ainda retorna à porta 61 no final de 2022, no seu movimento de retrogradação).


Relembro que a porta 60 já sofreu um abanão em final de 2020, com Júpiter e Saturno a preparem uma mudança estrutural. De um modo global, todos tivemos de lidar com limitações de uma forma que nunca tínhamos imaginado.


Plutão vem agora completar o processo, no fim do seu ciclo. A que ciclo me refiro? Ao "Pluto interregnum", que de acordo com Ra Uru Hu, se iniciou em 1781, com Plutão na porta 41 (o início do processo experiencial, o códon de início) e que culmina quando Plutão regressar a essa porta, entre 2025 e 2028. É o fim do modo de viver estratégico do ser de 7 Centros, em que a Mente era a força decisora. O caminho para o futuro só é seguro se vivermos em plenitude como seres de 9 Centros, honrando a nossa verdade individual. Em 2027, a acompanhar este movimento plutónico, abre-se uma nova consciência espiritual e entramos numa energia cósmica pautada pela individualidade (Cruz da Fénix Adormecida).

Mas antes de chegar à porta 41, Plutão ainda vai estar a operar na porta 60, que representa o velho: as velhas formas, as velhas estruturas, o velho modo de ser. Aqui, o planeta da transformação está em território que lhe é bem conhecido. A pressão para a mutação, para libertar energia de modo a criar algo novo, depara-se com uma limitação que, em termos simbólicos, representa a morte (o oposto do impulso criativo).

No fundo da terra, as sementes estão limitadas pela densidade da matéria, e só algumas encontram o caminho para cima. No ser humano, esse movimento de ascensão é o impulso da vida, uma possibilidade de mutação. Quando esse impulso não surge, a impaciência de que algo novo aconteça pode tornar-se depressão.

O convite de Plutão, que Ra compara a uma força feminina antiga, a uma Avó que não esconde as verdades, (lembra-me a Avó do Diabo, do conto dos irmãos Grimm ,"O Diabo com os 3 cabelos dourados"), é que aceitemos a mudança e nos preparemos para o Novo Ciclo.

"Hades recebe as almas e prepara-as para os processos pós-vida, purificando-as e transformando-as. A sua natureza é pródiga e o seu reino é cheio de riquezas: ouro, cristais, pedras preciosas, petróleo, sementes... Para não falar nas riquezas espirituais que se obtêm somente nas visitas ao Submundo." A Maçã Dourada



A limitação será real?


"A porta 60 é a porta do velho. Em certo sentido, os velhos e os ancestrais, a história, o passado. É a fonte do processo. É a fonte de todas as mutações. E, no entanto, carrega o nome de limitação, essa ilusão de conclusão, essa ilusão de uma barreira." Ra Uru Hu


As 64 portas fazem parte de um círculo, de uma mandala. Os círculos não têm princípio nem fim. Embora a forma, o corpo, tenha de lidar com limitações, a nossa alma é livre, eterna.


Quando um pensamento negativo me vem visitar, costumo fechar os olhos e observar o que está a acontecer na minha essência. Geralmente, percebo que o pensamento negativo é apenas uma ilusão. Na verdade, a minha essência brilha, ilimitada e alegre.


A maior ilusão que enfrentamos é a ilusão da morte. No audiolivro "A Maçã Dourada" dou vários exemplos das minhas descobertas nesse campo.


Talvez Plutão nos traga provas dessa ilusão, e nos permita ver o quanto nos temos privado de viver com medo da morte.


Como aproveitar este trânsito de Plutão?


A melhor forma de aproveitares este trânsito, é perceberes como lidar com as limitações, de forma a honrares o teu Ser.


Se és Gerador, percebe de que forma está a usar a tua energia, limitando aquilo que não te traz satisfação. Se és Projector, talvez seja uma boa altura para aceitar que precisas de descanso e para limitar as pessoas tóxicas cuja energia absorves. Se és Manifestador, que tal aprenderes a limitar a resistência na tua vida, pelo simples acto de informar os outros antes de te lançares num novo impulso energético? E se és Reflector, este é o momento de perceberes que o tempo é uma vantagem, e de limitares os lugares e as comunidades que não te surpreendem pela positiva.


Enraiza-te na Terra, passando tempo na Natureza, para que o teu Centro da Raiz possa descarregar as energias estagnadas e receber a energia poderosa e criativa do planeta. As árvores estão à tua disposição para te ajudar neste processo.


Deixo-te aqui algumas questões para reflexão, e convido-te a partilhar nos comentários as tuas sugestões para que possamos viver estes próximos tempos de forma criativa:


O que tem vindo a pedir para morrer em ti? Que partes tuas precisas de regenerar para viver na Nova Terra?


O que gostarias que nascesse no novo ciclo?


Como pode a Humanidade regenerar-se?


Que novas atitudes podemos desenvolver em relação ao nosso planeta?


Aceitas a sabedoria plutónica para o processo de transcendência?


Deixo-te alguns artigos que podem ajudar neste ciclo:


>>> Saber lidar com a melancolia


>>> Compreender o processo na porta 60


>>> Compreender o processo na porta 61



E por fim, a minha principal recomendação:

Ama-te a ti mesma(o) e estarás na Nova Terra.




* a Mandala e o Rave Bodygraph são marca registada da Jovian Archive.


 

>> Subscreve aqui a newsletter do YourSELFStory para receber conteúdos exclusivos.

O que dizem desta newsletter:

"Cada newsletter é sempre uma boa surpresa e escrita numa linguagem doce e maravilhosa que nos enche a alma."

“Tanta LUZ!”

"Ler esta newsletter é um bálsamo para a alma e um elixir de renovação para o coração!"

“Espectacular!”

“Obrigada por seres este veículo de descoberta e autoconhecimento.”

“Wow! Adorei!”

“Susana, todas as suas mensagens vêm mesmo no momento certo.”

“Emocionante.”

“Estás a funcionar como um despertador!”

“Lindo!”

80 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo