• Susana de Sousa

A canção da alma

O herói tinha pela frente um magnífico monstro: as suas garras eram do tamanho de uma árvore, a sua bocarra era um abismo; o corpo estava por coberto por escamas. O herói viu o seu escudo ser facilmente derrubado. A espada foi engolida. As flechas deslizavam pelo corpo do monstro e caíam no chão, inúteis e desiludidas. Aquele monstro vinha para ficar.

Nunca te perguntas: "por que será que a minha vida não flui? Tem tudo de ser tão duro e frustrante?"


Durante anos fiz esta pergunta. Estava presa a um trabalho que já não me satisfazia, queria muito mudar, mas por mais que tentasse, nada resultava.




Isso acontecia porque eu me estava a guiar por fatores externos. Eu devia ter sido capaz de ouvir a minha voz interna e seguir o que era correto para mim. Não era para lutar como os outros, com o escudo, a espada e as flechas.


Eu só precisava de cantar.


Então o herói começou a cantar. A sua canção trazia a harmonia de mundos esquecidos. Pássaros e borboletas encheram o céu de cores novas; as flores exalaram um perfume inebriante; as copas da árvores cobriram-se de ouro puro. E o monstro, perdido nos acordes misteriosos daquela canção, deixou-se embalar numa doçura eterna.

Sem saber como a minha verdade se expressava, sem conhecer a voz verdadeira que existia dentro de mim, que mais podia eu fazer senão lutar com o escudo, a espada e desperdiçar a minha energia a lançar flechas para o ar?


Se eu não me tivesse cruzado com o Human Design, ainda hoje estaria a trabalhar nos bastidores de programas de televisão, a sonhar com a produção das minhas próprias histórias.


A sentir que a minha vida era um desperdício e a ter pena de mim própria.


Felizmente, o Human Design veio mostrar-me de que forma devo fazer mudanças. Sendo do Tipo Gerador, com autoridade Sacral, altamente individual, mas formatada por ciclos, eu tinha de levar o ciclo de trabalho até ao fim e esperar que a vida me trouxesse o estímulo para a mudança.


Esse estímulo chegou através de uma viagem à Tailândia e ao Camboja. Viagem essa que eu jamais faria antes do Human Design, habituada como estava a tomar cautelosas decisões racionais.


Uma vez diante dos magníficos budas dourados, e após ter sido dispensada do meu último projecto televisivo, soube que tinha chegado ao final do ciclo de uma carreira nos meios de comunicação social.


A minha vida mudou com uma única decisão sacral e continuou a mudar a partir desse dia.


Comecei a aceder a novos níveis de inspiração, pois a minha mente tornou-se mais leve. Deixou de estar ao comando da minha vida. Trouxe-me um estado de paz e de satisfação como nunca tinha sentido (e haviam sido anos de prática de meditação!).


Como tenho um perfil 6/2, para mim é muito importante confiar. E se antes eu não confiava na vida, agora confio, porque mergulhei no processo que o Human Design me propôs e pude observar os resultados.


Pude abraçar a minha criatividade única e deixar que em mim florescesse uma nova energia, que durante anos esteve bloqueada.


O YourSELFStory nasceu depois do meu encontro com o Human Design e por isso traduz a minha experiência com o processo de descondicionamento. É a prova viva do que pode suceder quando embarcamos de corpo e alma nesta aventura de descoberta interior.


O autoconhecimento é a chave para que as grandes criações possam emergir de dentro de nós.


Por isso sei que a vida pode fluir, sim. A vida não tem de ser dura, pois com as ferramentas certas estaremos habilitados a lidar com qualquer tipo de situação.


Isso não quer dizer que os obstáculos e dificuldades desapareçam. Iremos vivê-los à mesma, pois são o motor da nossa evolução.



A diferença está na forma como passamos a encarar a vida e a lidar com ela. Quando nos conhecemos, ganhamos perspectiva, visão, sabedoria, e adquirimos ferramentas que nos habilitam a enfrentar qualquer monstro.


E isto é o que as análises de Human Design têm para oferecer: as ferramentas que são exclusivamente tuas e que te podem ajudar a entrar no fluxo da vida!


O herói ficou encantado com a sua própria canção. Se soubesse que tinha aquele poder dentro de si, quantos mais monstros poderia ter derrotado! E agora, via como o monstro chorava de alegria e, no olhar profundo daquele ser, vislumbrou o seu próprio rosto.

Pois é... os monstros são também parte de nós! E quando cantamos a nossa canção, a canção da nossa alma, eles desvanecem-se.



Descobre quem és


Será o momento de também tu descobrires a tua própria canção? E aprenderes a ganhar as tuas próprias batalhas de forma fluida e sem esforço?


Descobre como aqui:


>>> O Caminho das Estrelas - a tua jornada com o Human Design


>> Subscreve aqui a newsletter do YourSELFStory para receber conteúdos exclusivos.

O que dizem desta newsletter:

"Cada newsletter é sempre uma boa surpresa e escrita numa linguagem doce e maravilhosa que nos enche a alma."

“Tanta LUZ!”

"Ler esta newsletter é um bálsamo para a alma e um elixir de renovação para o coração!"

“Espectacular!”

“Obrigada por seres este veículo de descoberta e autoconhecimento.”

“Wow! Adorei!”

“Susana, todas as suas mensagens vêm mesmo no momento certo.”

“Emocionante.”

“Estás a funcionar como um despertador!”

“Lindo!”

128 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo