top of page

As portas e as linhas do Human Design


Quando olhamos para um gráfico (Bodygraph) de Human Design, vemos que há formas geométricas que têm números. As formas são os 9 centros energéticos e os números são as portas de entrada e de saída da energia. O gráfico é a representação do fluxo de energia e cada porta representa uma qualidade específica dessa energia.


Olhando para a mandala, também vemos que lá estão as portas, numeradas de 1 a 64, tal como os 64 hexagramas do I-Ching chinês. Cada porta está relacionada com uma posição do zodíaco. Por exemplo, se eu olhar para a porta 10 na mandala, vejo que compreende o final do signo de Sagitário e o início do signo de Capricórnio. Se olhar para o interior da mandala, vejo que no gráfico a porta 10 se encontra no Centro do Ser.


Quando olhamos para um gráfico (Bodygraph) de Human Design, vemos que há formas geométricas que têm números ou portas.
Portas do Human Design

Para percebermos como é que cada porta vai funcionar, é necessário olhar para cada gráfico individual como um todo. A porta 10 vai operar de formas diferentes num gráfico de um Manifestador Emocional e no gráfico de um Refletor. Também vai funcionar de formas distintas se estiver ativada (num Centro do Ser definido) ou dormente (num Centro do Ser indefinido). Se fizer parte de um canal (ligação de 2 portas), o seu valor também será diferente.


Ainda assim, podemos contemplar o significado de cada porta, para mergulharmos na riqueza deste sistema de conhecimento.


Nesta lista, encontras o número da porta, o nome da porta no I-Ching, o nome que foi dado pela Voz (entidade que transmitiu o sistema de Human Design a Ra Uru Hu), e uma breve descrição.


Porta 1 - O Criativo - A porta da Expressão do Ser verdadeiro - Criação como força primordial. O potencial energético para manifestar inspiração sem limitação. Esta é a porta do artista criativo que tem de fazer as coisas à sua maneira, sem ter um objetivo; inspira pelo exemplo; tem uma necessidade profunda de se expressar; devido à sua possibilidade mutativa é muito criativa mas também melancólica (ver artigo sobre Melancolia).


Porta 2 - O Recetivo - A porta da  direção do Ser Verdadeiro - A recetividade como base primordial através da qual qualquer resposta é determinada. A origem da ação. Esta é a porta mais recetiva; é o lugar do Condutor (Monopolo Magnético); dá-nos direção; ligada à beleza e harmonia; é uma porta de Visão do Eu Superior: tem a capacidade de movimentar a identidade numa direção que seja gratificante para a humanidade como um todo, mas precisa dos recursos da porta 14. (ver artigo sobre Melancolia).


Porta 3 - Dificuldade no início - A porta de Pôr Ordem - O desafio principal da iniciação é transcender a confusão e criar ordem. É o potencial para a mutação genética; a vida é confusa, e é desta confusão que vem a mutação; por muito que se esforce para transformar a confusão em ordem, isso não quer dizer que o consiga fazer; precisa de saber esperar o momento certo para que o novo possa emergir; potencial de melancolia. (ver artigo sobre Melancolia).


Porta 4 - Loucura Juvenil - A porta da Formalização - A energia para seduzir e triunfar apesar da ignorância. A liberdade que vem da retribuição. Gosta de ter questões para resolver. Formular uma resposta lógica. A resposta é a geração de uma fórmula e é apenas o início do processo de consciência lógica; a verdade só surge após a experimentação; estas respostas não servem para encontrar soluções para a própria vida.


Porta 5 - Esperar - A porta dos Padrões Fixos - Sintonia fundamental para os ritmos naturais. A espera como um estado ativo de consciência. Porta dos hábitos, rotinas e do ritmo diário; tem de seguir o seu ritmo e não permitir interferência com os seus rituais e rotinas para se manter saudável; Porta da Espera: esperar não é parar, é um estado ativo; tem grande satisfação com rituais e rotinas que a sintonizem com a vibração da vida.


Porta 6 - Conflito - A porta da Fricção - A componente fundamental da concepção do progresso. A lei de que o crescimento não pode existir sem fricção. Funciona como um diafragma que abre ou fecha para a intimidade; é fonte da onda emocional; esta porta é sobre desenvolver discernimento emocional: a capacidade de tomar uma decisão emocional clara (isso só tem lugar com o tempo).


Porta 7 - O Exército - A porta do papel do Ser verdadeiro em interação - O ponto de convergência. Por natureza, a necessidade de liderança para guiar e ordenar a sociedade. Tem o impulso para liderar, mas só o pode fazer quando é convidada. Esta é a porta da direção lógica, orientada para o futuro; esta porta pode modificar o padrão, o ritmo, ou apontar uma nova direção; é o poder atrás do trono.


Porta 8 - Manter Unido - A porta da Contribuição - O valor básico realizado na contribuição com esforços individuais para os objectivos do grupo. “Eu sei que posso fazer uma contribuição para o esforço de grupo através da minha individualidade.” Auto-expressão única. O agente; porta da contribuição individual para o Todo; quando atrai a atenção dos outros, deve liderar pelo exemplo; valiosa para o grupo desde que expresse a sua verdadeira natureza. (ver artigo sobre Melancolia).


Porta 9 - O Poder de domar do pequeno - A porta da Energia para o detalhe - O potencial pode ser alcançado pela atenção detalhada a todos os aspectos pertinentes. Capacidade de foco e de energia concentrada para estabelecer um padrão. O poder da determinação, de domar a energia para o detalhe; capacidade de permanecer no detalhe passo a passo.


Porta 10 - Trilhar - A porta do Comportamento do ser verdadeiro - O código de comportamento implícito que assegura uma interação bem sucedida apesar das circunstâncias. Porta do Amor-próprio. É uma porta de grande influência condicionadora, pois determina o comportamento coletivo; através do comportamento correto, descobrimos o amor-próprio. Porta muito complexa, que determina os seis comportamentos do Ser Verdadeiro: Modéstia, Eremita, Mártir, Oportunista, Herege e Modelo. (ver artigo sobre Melancolia).


Porta 11 - Paz - A porta das Ideias - Uma condição harmónica no indivíduo ou na sociedade que permite a avaliação antes da ação renovada. Ter novas ideias para partilhar. Estas ideias não são ações; reconhecer que estas ideias são para os outros; não pode dar instruções para a própria vida; as ideias são um estímulo para reflexão e não para agir.


Porta 12 - Estar quieto - A porta da Cautela - A qualidade da contenção e a importância da meditação e inação perante a tentação. “Eu sei que posso tentar ou não.” Porta de cautela social; tem a capacidade de ser extremamente articulada, quando está com o humor certo; transforma através da palavra, mas a mutação vem através da vibração e do tom; através do poder áurico do silêncio consegue influenciar os outros. É uma das 3 portas de solidão. (ver artigo sobre Melancolia).


Porta 13 - Companheirismo do Homem - A porta do Ouvinte - Ideias e valores universais numa estrutura ordenada que inspiram a cooperação humanística. Direção ou direcionar olhando para o passado. Ouve, vê e guarda segredos; coleciona reflexões sobre o passado; muitas vezes ouve coisas que os outros não ouvem. Os colecionadores e historiadores.


Porta 14 - Possessão em grande medida - A porta das Capacidades poderosas - A acumulação e a retenção de poder através de interações competentes, juntando graça e controlo. Liberta energia (dinheiro, recursos) para potenciar a direção na vida. Energia que é um fuel para empoderar o Self; tem energia para sustentar muitas horas de trabalho criativo; quando faz o que ama gera riqueza e poder; os seus recursos, quando devidamente dirigidos pela porta 2, podem catalisar a mudança no mundo. (ver artigo sobre Melancolia).


Porta 15 - Modéstia - A porta dos Extremos - A qualidade de comportamento que expressa o equilíbrio correto entre extremos. Porta do amor pela humanidade. Tem de saber adaptar os seus ritmos constantemente às circunstâncias reais e concretas e abraçar diferentes ritmos e extremos de comportamento. Sente-se desconfortável com padrões fixos. Presença muito magnética. Porta da aura.


Porta 16 - Entusiasmo - A porta das Capacidades - A grande arte de enriquecer a vida pela canalização harmónica de energia. “Eu experimento/identifico ou não.” Dominar algo habilmente. Está ligada não apenas às artes, mas também ao talento para viver; o artista necessita de identificação para poder transcender a repetição mundana e manter-se no processo até que as capacidades atinjam o nível de mestria (só nesse ponto é que há o potencial de expressão do talento).


Porta 17 - Seguir - A porta da Opinião - A lei ancestral que diz que quem deseja governar tem de saber servir. Grande porta de organizar a Humanidade. Ter opiniões baseadas em factos. Está sempre a tentar colocar conceitos dentro de um padrão ou estrutura, que pode fornecer a esses conceitos um senso de correção; o facto de algo poder ser construído dentro do padrão não implica que o resultado seja necessariamente verdadeiro.


Porta 18 - Trabalhar no que foi estragado - A porta da Correção - A vigilância e a determinação para elevar e defender os direitos humanos básicos e fundamentais. O dom da crítica. Identifica o que está errado e que pode ser melhorado e aperfeiçoado. Esta é a porta onde recebemos o maior condicionalismo por parte dos pais e da educação; é a porta da aprendizagem e da correção; aqui aprende-se a desafiar de forma a melhorar o futuro.


Porta 19 - Abordagem - A porta do Querer - Que todas as coisas estão interligadas é evidente e manifesto através da ação de abordagem. Pressão para ser sensível às necessidades básicas. As suas necessidades requerem uma interação bem sucedida com outros. Pressiona os outros para trazer consciência às necessidades do grupo (comida, território, proteção, sexo).


Porta 20 - Contemplação - A porta do Agora - Reconhecimento e consciência no agora que transforma a compreensão em ação correta. “Eu sou agora ou não.” Porta puramente existencial; pessoas que só conseguem ver a vida no momento presente (tudo tem de ser agora); não considera o passado nem o futuro;  a sua sabedoria é estar correta no agora, pois assim não há necessidade de estar preocupada com o amanhã. (ver artigo sobre Melancolia).


Porta 21 - Morder - A porta do Caçador/ Caçadora - O uso necessário e justificado do poder para ultrapassar a interferência deliberada e persistente. Porta do controlo. Tem de ser independente no plano material. É o diretor executivo ou o presidente. Torna-se bem sucedida quando consegue controlar os seus recursos materiais. Não gosta de ter um patrão a controlá-la. No entanto, deve seguir a sua Estratégia de Vida para obter o controlo.


Porta 22 - Graciosidade - A porta da Abertura - Um tipo de comportamento mais adequado para lidar com situações mundanas e triviais. Aberto a ouvir - quando está com disposição para isso. Pode ser muito social, ou não - vai depender do seu humor. Tem uma capacidade de escutar os outros com graciosidade social quando está na disposição certa. Para saber algo plenamente, precisa de ouvir ao longo do tempo. (ver artigo sobre Melancolia).


Porta 23 - Dividir - A porta da Assimilação - Amoralidade. A consciência e compreensão que leva à aceitação da diversidade. “Eu sei ou não.” É a porta que traduz os insights individuais em linguagem. Dom de expressar conceitos inovadores que potenciam novas formas de pensar. Deve saber explicar-se de forma clara, simples e acessível, no timming correto. (ver artigo sobre Melancolia).


Porta 24 - O Retorno - A porta da Racionalização - O processo natural e espontâneo de transformação e renovação. Esta porta transforma a inspiração num conceito racional, retornando uma e outra vez ao mesmo território, até que um pensamento inovador possa tomar forma. Este é um processo espontâneo e imprevisível, que não se pode controlar. A resolução surge quando surge. (ver artigo sobre Melancolia).


Porta 25 - Inocência - A porta do Espírito do Verdadeiro Ser - A perfeição da ação através de natureza não forçada e espontânea. Porta do amor universal e incondicional. É o potencial de amar a existência sem discriminação (não discrimina entre animado e não animado); é a raiz do que é "estar vivo"; a verdadeira iniciação é manter a inocência apesar das circunstâncias. (ver artigo sobre Melancolia).


Porta 26 - O poder de domar do Grande - A porta do Egoísta - A maximização do poder da memória aplicada ao nutrir da continuidade. Esta é a porta onde a memória é manipulada para nos persuadir ou nos distrair dos medos. Porta do vendedor. Consegue alcançar a máxima recompensa com o mínimo de esforço e manipular qualquer situação. Se fizer apenas promessas que pode cumprir, consegue assegurar grande influência.


Porta 27 - Nutrir - A porta do Cuidar - A melhoria da qualidade e da substância de todas as atividades através do cuidar. Nutre e protege para assegurar a sobrevivência. Cuida dos fracos, das crianças e dos doentes. Corre o risco de se sacrificar pelos outros, por isso deve cuidar de si em primeiro lugar e aprender a estabelecer limites saudáveis.


Porta 28 - Preponderância do Grande - A porta do Jogador - A transitoriedade do poder e da influência. Está sempre pronta para correr riscos para encontrar o sentido na vida. Tem o potencial de saber espontaneamente pelo que vale a pena lutar; tem medo de chegar ao fim da vida sem ter um propósito, sem a vida ter valor; corre riscos sozinha; joga na vida para poder encontrar o seu propósito. (ver artigo sobre Melancolia).


Porta 29 - O Abismo - A porta da Perseverança - O profundo dentro do profundo; apesar das dificuldades, a persistência tem recompensas inevitáveis. Entrega-se totalmente a uma experiência para viver um potencial de verdadeira descoberta. Porta do Sim; perseverar em qualquer circunstância; o poder de assumir o compromisso de todo um ciclo experiencial; deve ter cuidado para não comprometer-se com demasiadas coisas.


Porta 30 - Fogo intenso - A porta dos Sentimentos - A liberdade reconhecida como uma ilusão e a limitação aceite como destino. Produz uma onda muito poderosa alimentada pelo desejo de sentir profundamente. É o potencial de sentir e de desejar uma mudança; cada experiência tem o potencial do inesperado; a beleza está na rendição àquilo que vai ser a experiência, sem expetativas do resultado.


Porta 31 - Influência - A porta da Liderança - A lei da fricção, ativa ou passiva, que gera transferência e portanto influência. “Eu lidero ou não.” O líder eleito influente. Fornece a visão de uma nova direção e mostra aos outros como alcançá-la em vez de o fazer por eles; se não consegue partilhar, não consegue liderar; tem de ser selecionada, escolhida, por outros.


Porta 32 - Duração - A porta da Continuidade - A única coisa que perdura é a mudança. Instinto para reconhecer o valor de algo ou de alguém e o que pode ou não ser transformado. Tenta equilibrar o seu conservadorismo com os riscos inerentes à mudança. Medo de falhar.


Porta 33 - Retiro - A porta da Privacidade - Retiro ativo e transformação de uma posição de fraqueza numa de força. “Eu lembro-me ou não.” Partilhar as lições do passado. Marca o final do ciclo, por isso precisa de retirar-se para refletir sobre a experiência antes de saltar para a seguinte; deve partilhar as lições que retirou da experiência; porta de revelação mística. É uma das 3 portas de solidão.


Porta 34 - O Poder do Grande - A porta do Poder - O poder só é grande quando a sua manifestação ou uso serve o bem comum. Poder puro para potenciar. O poder de ser independente e autocentrado, não tendo de sentir-se culpado por isso. Energia vital que emerge naturalmente. (ver artigo sobre Melancolia).


Porta 35 - Progresso - A porta da Mudança - Por natureza, o progresso não pode existir no vácuo e está dependente da interação. “Eu sinto/experiencio ou não. Eu sinto que é tempo de mudar.” Progresso através da experiência. Tem de experimentar uma vasta gama de coisas para poder aprender. Tem sempre fome por algo novo. Se salta para a experiência sem seguir Estratégia e Autoridade, encontra crise. Depois da experiência, pode partilhar a sua sabedoria.


Porta 36 - O escurecer da luz - A porta da Crise - A regra dos ciclos em que o declínio é um estado natural mas não duradouro. Motivada pelo desejo intenso de viver o desafio de uma nova experiência. Porta da turbulência emocional. Poder de gerar um sentimento e conduzir uma experiência. É a verdadeira capacidade humana de ir além do padrão, da norma, e de abraçar, com toda a energia, a experiência.


Porta 37 - A Família - A porta da Amizade  -A Manifestação macro e microcósmica da natureza orgânica das comunidades. É a porta mais comunitária. Quando é reconhecida pelos outros, pode manter uma comunidade ou família unidas com o seu afeto. Os acordos que estabelece com a família ou comunidade têm de ser justos para si. Muito ligada à comida e a rituais que envolvem comida.


Porta 38 - Oposição - A porta do Lutador - A capacidade de preservar a integridade individual através da oposição a forças detrimentais. Pressão para encontrar ou lutar por um propósito. Guerreira natural que está sempre pronta a lutar pela sua independência. É capaz de confrontar com coragem a própria adversidade. Gosta de uma boa luta, e quando escolhe a luta certa, potencia os outros a discernirem quais as lutas que têm valor. É uma porta de surdez, o que quer dizer que a pessoa não será facilmente influenciada pelo exterior. (ver artigo sobre Melancolia).


Porta 39 - Obstrução - A porta da Provocação - O valor da obstrução para provocar análise, avaliação e reapreciação. Pressão para encontrar a paixão e o espírito na vida. Pressão para se emocionar. É a porta do “flirt”. O seu humor determina se irá provocar prazer ou dor, alegria ou tristeza. A sua provocação revela qual o espírito certo para si.  É uma porta de surdez, o que quer dizer que a pessoa não será facilmente influenciada pelo exterior. (ver artigo sobre Melancolia).


Porta 40 - Libertação - A porta da Solidão - O ponto de transição entre a luta e a libertação. Porta do amor ao trabalho. A vontade de providenciar. Precisa de balancear trabalho e descanso. Muito procurada por poder providenciar trabalho árduo no âmbito de um grupo, família ou comunidade.  Precisa de apreço e de lealdade. É uma das 3 portas de solidão.


Porta 41 - Diminuir - A porta da Contração - A limitação de recursos que maximiza o desenvolvimento do potencial. Pressão para sentir, desejo, sonhos, fantasias. Esta Porta é o codon de iniciação dos hexagramas e marca o começo do novo ano Rave. A sua função é reconhecer (julgar abstratamente) através de um único sentimento. Foca-se numa coisa - o resto é empurrado para o lado (passa a ser secundário - contraído).


Porta 42 - Aumentar - A porta do Crescimento - A expansão dos recursos que maximiza o desenvolvimento do potencial total. Fecha um ciclo e leva as coisas até ao fim. Tenacidade para perseverar no ciclo até maximizar o seu potencial. Necessidade de fechar ciclos para depois se poder avançar para o passo seguinte. Com esta porta, há sempre o potencial de entrar na experiência de forma completa.


Porta 43 - Avanço - A porta do Insight - De modo a que a concretização seja mantida, deve ser criada uma nova ordem de forma justa. Dom de expressar-se de forma única e criativa. Tem perspetivas inovadoras. A sua voz interior estrutura o conhecimento de forma genial ou louca. É uma porta de surdez, o que quer dizer que a pessoa não será facilmente influenciada pelo exterior. (ver artigo sobre Melancolia).


Porta 44  - Ir ao encontro - A porta do Estado de Alerta - O sucesso de qualquer interação é baseado na ausência de quaisquer condições prévias. Porta da memória instintiva, onde as experiências do passado ficam armazenadas na memória celular do corpo. Sempre alerta para as interações corretas, baseadas nas interações bem sucedidas no passado. Tem o dom de ver o potencial e as habilidades dos outros (nariz para pessoas).


Porta 45 - Reunir - A porta do Agrupador - A atração natural e geralmente benéfica de forças similares. “Eu tenho ou não.” O Rei/Rainha liderando através da educação. Representa a voz da comunidade. Está cá para educar os outros e colocar o selo de aprovação nas leis. Está no topo da hierarquia para apoiar a comunidade e assegurar bem-estar e riqueza.


Porta 46 - Ascensão - A porta da determinação do Ser Verdadeiro - A boa sorte, que pode ser percebida como resultado do acaso, mas que deriva de esforço e dedicação. Amor pelo corpo físico, como templo. Aceitação total de estar na vida e no corpo. Estar no sítio certo, no momento certo, só acontece quando se largam as expetativas. Serendipidade. É a porta que mais exige uma imersão total no processo. Ao nível místico, é a aceitação de que o corpo é a vida.


Porta 47 - Opressão - A porta da Compreensão - Um estado restritivo e adverso como resultado de fraqueza interna, força externa ou ambas. Compreender a confusão. Pressionada para compreender e conceptualizar o Abstrato, as memórias guardadas, as imagens, as experiências do passado. Tem o potencial de reconhecer o que faz sentido ou não. Precisa de tempo e paciência para criar inspiração a partir da confusão.


Porta 48 - O Poço - A porta da Profundidade - A fundação necessária e qualitativa que é um pré-requisito para criar o bem comum. O Poço é um recurso, um reservatório, uma consciência potente enraizada na memória instintiva profunda. É uma fonte de sabedoria natural, que precisa de saber esperar o momento certo para partilhar as suas soluções. Têm de ser os outros a puxar a sua sabedoria, pois nem sabe que tem acesso a ela.


Porta 49 - Revolução - A porta dos Princípios - Idealmente, a transformação das formas baseada nos princípios mais elevados e não apenas pelo poder. Uma onda que aceita ou rejeita os princípios baseados nas necessidades da tribo. Esta porta procura os princípios que mantenham a comunidade saudável. Tema da rejeição, do divórcio e da revolução. Sensibilidade ou insensibilidade.


Porta 50 - O Caldeirão - A porta dos Valores - O valor da continuidade histórica cujos valores tradicionais servem e enriquecem o presente e o futuro. Estabelece e desafia valores e responsabilidades na comunidade. Mantém ou desafia as leis que governam da preservação e o bem-estar da comunidade. Medo da responsabilidade. É o caldeirão onde os valores da sociedade são sintetizados. O guardião dos valores comunitários.


Porta 51 - A Excitação - A porta do Choque - A capacidade de responder à desordem e ao choque através do reconhecimento e da adaptação. Energia para a iniciativa individual. Ser competitivo e arriscar. Ser o primeiro em alguma coisa. Capacidade para resistir ao choque. Traz um sentido de excitação e imprevisibilidade à vida, chocando os outros para fora dos seus pequenos mundos. (ver artigo sobre Melancolia).


Porta 52 - Estar quieto (Montanha) - A porta da Quietude - Inação temporária e auto-imposta para benefício da avaliação. Pressão para focar a sua energia, para se concentrar. Combustível passivo que alimenta o foco, mantendo a pessoa quieta. Tensão passiva. Pressão para ficar quieta - assim pode observar os padrões. A "porta do Buddha", que está a mudar o mundo estando quieto e a usar a energia de forma focada.


Porta 53 - Desenvolvimento - A porta dos Começos - O desenvolvimento como uma progressão estruturada que é constante e duradoura. Pressão para começar, para iniciar coisas novas. Porta dos começos e da liberdade (para iniciar uma experiência). Pressão constante/fuel para começar algo novo. É a energia para começar um novo ciclo. São iniciadores e não acabadores.


Porta 54 - A Jovem Casadoira - A porta da Ambição - Interação no seu contexto social mundano mas também nos seus relacionamentos místicos e cósmicos. Pressão para alcançar, para ascender, para transformar. O ímpeto para ascender na hierarquia e alcançar um status mais elevado, quer ao nível mundano, quer ao nível místico. Ambição material. O arquétipo da concubina que sobe na hierarquia e se torna imperatriz.


Porta 55 - Abundância - A porta do Espírito - A abundância é meramente uma questão de espírito. Porta de grande indecisão emocional. Precisa de honrar os seus humores. Oscila entre a melancolia e a paixão. Muito sensível ao que escuta. Romântica e musical. Sempre à procura de encher a taça com o estado emocional que a faça sentir plena (paz, amor, êxtase). (ver artigo sobre Melancolia).


Porta 56 - O Viajante - A porta da Estimulação - Estabilidade através do movimento. A perpetuação da continuidade através da ligação de atividades de curto prazo. “Eu acredito ou não.” O contador de histórias estimulante. As experiências do passado são aqui traduzidas em linguagem. Interessada em obter uma reação emocional por parte do ouvinte. Busca novas ideias para poder expressar as suas histórias.


Porta 57 - Suavidade - A porta da Claridade Intutiva - O poder extraordinário da claridade. Porta de consciência intuitiva ligada à capacidade de sobrevivência e bem-estar. Muito sensível ao som e à vibração. É o ouvido direito e a capacidade de ouvir no agora, de forma muito seletiva, para evitar condicionamento. Medo do futuro. (ver artigo sobre Melancolia).


Porta 58 - Alegria - A porta da Vitalidade - A estimulação é a chave para a alegria. Pressão para corrigir e aperfeiçoar, para tornar as coisas melhores. Vitalidade para desafiar os condicionalismos morais e sociais e produzir melhorias. É a pressão insaciável para provocar a experimentação e desta forma assegurar um futuro seguro para a humanidade.


Porta 59 - Dispersão - A porta da Sexualidade - A capacidade de quebrar barreiras para alcançar a união. O poder de derrubar barreiras para alcançar a intimidade. Imperativo genético para a união. Esta é a porta que define os papéis sexuais. Potencial para ser fértil, quer ao nível da reprodução (bebés), quer da intimidade (amizade, parcerias, projetos; carreiras).


Porta 60 - Limitação- A porta da Aceitação - Aceitar a limitação é o primeiro passo para a transcendência. Pressão para mudar, para transcender a limitação. Potencial de trazer algo novo ao mundo. Energia que pulsa on-off, em que a mutação ocorre de forma imprevisível. Energia para aceitar a limitação. Melancolia é o que acontece antes da mutação. (ver artigo sobre Melancolia).


Porta 61 - Verdade Interior - A porta do Mistério - A consciência dos princípios estruturais universais. Pressão mutatória para saber algo novo, para entender os mistérios, para conhecer o incognoscível. Porta da Epifania. Grandes pensadores, cujas mentes não podem resolver a sua própria vida e devem aceitar que algumas coisas não podem ser conhecidas. Potencial de melancolia. (ver artigo sobre Melancolia).


Porta 62 - A Preponderância do pequeno - A porta dos Detalhes - Cautela, paciência e detalhe produzem excelência a partir da limitação. “Eu penso ou não.”  Comunicar detalhes e factos. Tem olho para o mais ínfimo detalhe (por vezes obscuro) em situações complexas. Consegue explicar o intangível tornando-o acessível através da expressão factual e clara. Dá nome às coisas. Porta de comunicação animal.


Porta 63 - Após a conclusão - A porta da Dúvida - Na espiral da vida, todos os fins são começos. Pressão lógica para entender o padrão através da dúvida, em busca de um novo padrão. Fuel para questionar e pressão para encontrar respostas para o coletivo (não para a própria vida). As questões desta mente cética e científica são altamente inspiradoras. As dúvidas são o início do processo de conhecimento e não o fim.


Porta 64 - Antes da conclusão - A porta da Confusão - A transição, tal como o nascimento, requer uma determinada força para a passagem. Pressão abstrata para compreender o passado e resolver o caos e a confusão. Muito visual: fluxo de imagens e memórias cíclicas do passado. A confusão não é algo negativo, é pressão de uma mente cheia de dados que precisa de um filtro antes que a pressão possa ser libertada.


Hexagramas do Human Design
Hexagrama 39 - Água sobre Montanha

As linhas


Cada porta é ativada numa de 6 linhas do hexagrama, o que lhe confere uma especificidade ainda maior.

Nesta lista, coloquei algumas palavras-chave de cada uma das linhas:


Linha 6 - Modelo, otimismo, liderança, administrador, compaixão, objetividade, distanciamento, confiança, visão da totalidade, transição. (Até aos 30 anos, vive os temas da linha 3). Olha para a porta seguinte (na mandala).


Linha 5 - Herege, universalização, sedução, praticidade, projeção, salvação, desconfiança, rebeldia, atratividade, o General.


Linha 4 - Oportunista, externalização, amizade, rede de relacionamentos, recursos humanos, influência, simpatia, fadiga, abdicação, exaustão.


Linha 3 - Mártir, mutação, tentativa e erro, descoberta, resiliência, adaptação, plano material, laços feitos e quebrados.


Linha 2 - Eremita, natural, projeção, democrata, dons internos, autonomia, talento natural, harmonia, genialidade, solidão, ser chamado.


Linha 1 - Investigador, fundação sólida, base segura, insegurança, introspeção, empatia, descobrir como funciona, autoridades, estudar comportamento, modéstia, paciência, camaleão.


Se juntarmos uma porta ao valor de uma linha, teremos algo muito específico. Por exemplo, o Sol ativa em mim a porta 39 na linha 6. Isso faz com que eu seja uma provocadora otimista, que tenta encontrar a paixão e o espírito de forma distanciada. Não irei investigar (linha 1) ou procurar oportunidades (linha 4) para provocar o espírito dos outros, mas observar e adquirir uma visão da totalidade.


Ao olhar para a totalidade do meu gráfico, consigo enquadrar a porta 39.6 e perceber como opera em mim. Se aplicar com diligência a minha Estratégia de Vida e Autoridade, poderei estar alinhada ao máximo potencial desta, e de todas as minhas ativações. (ver artigo sobre Estratégia de Vida e Autoridade).



O sistema de Human Design


Cada porta está relacionada com um dos 64 códons do nosso ADN. Quando a informação energética é verbalizada de forma correta, isso é sentido no corpo, abrindo caminho a um processo muito profundo de alinhamento com a verdadeira natureza do Ser.


Numa análise de Human Design, há um entrelaçar de palavras-chave que direciona a energia no sentido correto. Cada mapa corresponde ao organismo vivo da pessoa, e as palavras são as chaves que giram as portas que por vezes estão trancadas ou adormecidas.


Se sentes o apelo deste poderoso sistema de autoconhecimento, posso facilitar a tua jornada através de análises e mentorias. Sabe mais aqui:



* a Mandala e o Rave Bodygraph são marca registada da Jovian Archive




O que dizem desta newsletter:


"Cada newsletter é sempre uma boa surpresa e escrita numa linguagem doce e maravilhosa que nos enche a alma."

“Tanta LUZ!”

"Ler esta newsletter é um bálsamo para a alma e um elixir de renovação para o coração!"

“Espectacular!”

“Obrigada por seres este veículo de descoberta e autoconhecimento.”

“Wow! Adorei!”

“Susana, todas as suas mensagens vêm mesmo no momento certo.”

“Emocionante.”

“Estás a funcionar como um despertador!”

“Lindo!”

"Adoro a tua escrita! Tão poética e bela, fico com um senso tão maravilhoso das coisas pela forma como te exprimes."

108 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page